Artigos

Igreja Presbiteriana lança propostas de reforma política

A Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo lançou na terça-feira, 31, o manifesto Reforma Brasil. Inspirados pelo aniversário de 500 anos da  Reforma Protestante, o grupo propõe parâmetros para uma reforma política. Entre os principais pontos do manifesto estão o fim do foro privilegiado, o fim das reeleições para o Legislativo, aprimoramento dos mecanismos de nomeações para os tribunais superiores (Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunal Superior do Trabalho (TST), Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Superior Tribunal Militar (STM))  e o fim do voto distrital. Leia o texto na íntegra no Estadão: https://goo.gl/Kf83M5.

Igreja evangélica mais antiga de SP defende reforma política e rechaça “político pastor”

O teólogo Valdinei Ferreira é pastor titular da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo. No dia em que a Reforma Protestante completa 500 anos, nesta terça-feira (31), a igreja evangélica mais antiga de São Paulo lança um manifesto em defesa de uma reforma política que contemple propostas como o combate ao foro privilegiado e à utilização de terminologias religiosas por candidatos nas eleições. A iniciativa é da Igreja Presbiteriana Independente, estabelecida na cidade de São Paulo desde 1865 e que arregimenta hoje, em todo o país, cerca de um milhão de fiéis. Batizada de “Reforma Brasil”, a bandeira, segundo seus autores, se destina a quaisquer cidadãos brasileiros e vai cobrar de candidatos à Presidência e a postos legislativos, ano que vem, qual proposta de reforma política eles têm em mente e por qual irão trabalhar. Leia o texto na íntegra no UOL: https://goo.gl/mez5vw.

Ser presbiteriano é pertencer a uma igreja que é uma comunidade

João Calvino (1509-1564) era ainda criança quando Martinho Lutero (1483-1546) afixou as 95 teses à porta da Catedral de Wittenberg, em 1517. A conversão de Calvino ao protestantismo se deu somente em 1533, quando a Reforma Luterana já avançava para a sua segunda década de existência. Coube a esse francês bastante reservado, em 1536, apresentar a sistematização mais ampla e didática dos insights doutrinários de Martinho Lutero na obra intitulada Instituição da Religião Cristã. Refugiado em Genebra, ao lado de outros refugiados das perseguições movidas pela Igreja Católica Romana, João Calvino deu forma à doutrina e ao modo de organizar a igreja cristã reformada. Leia o texto na íntegra no Estadão: https://goo.gl/w6zqhJ.